Servidores da UEM recusam proposta da LGU

Notícia

Reunidos em Assembleia, na manhã desta segunda-feira, 9 de setembro, os servidores da UEM decidiram, por unanimidade, recusar a proposta da minuta da Lei Geral das Universidades (LGU).

Apresentado, sem qualquer discussão com a categoria, pelo superintendente da Seti, Aldo Bona, o anteprojeto prevê um modelo de gestão que coloca em risco principalmente a autonomia das universidades.

Um dos pontos mais polêmicos prevê, em seu artigo 22, que a terceirização possa ser implementada para os cargos de agentes universitários/nível de apoio, o que acabaria, em definitivo, com algumas carreiras técnicas.

Durante a Assembleia foram discutidas também as formas de execução da ação de insalubridade, com a isenção de pagamento das custas processuais para os filiados ao Sinteemar e de 20% para os não filiados.

As discussões abrangeram ainda o Projeto de Lei queprevê o fim da licença prêmio/especial dos servidores estaduais. Amanhã, 10 desetembro, ocorrerá uma audiência pública na CCJ da Alep e no período da tarde, os servidores farão um protesto na Alep contra essa PLC, a partir das 14 horas.

Paralelo à Assembleia do Sinteemar, a minuta da LGU foi lida na sala reunião do Conselho Universitário (COU). Ainda pela manhã foram apresentadas as planilhas e a discussão propriamente dita será no períododa tarde a partir das 14 horas.