Servidores da UEM decidem pelo Indicativo de Greve a partir do dia 26 de junho

Notícia

Por maioria absoluta dos votosdos presentes, os servidores (agentes universitários e docentes) da Universidade Estadual de Maringá (UEM) decidiram, na tarde desta terça-feira, 18 de junho, pelo indicativo de greve na Instituição, para o próximo dia 26. Isso significa dizer que na quarta-feira, 26, a UEM pode entrar em greve por tempo indeterminado, segundo explicou o presidente do Sinteemar, José Maria Marques.

A principal reivindicação é a recomposição salarial de toda a categoria. Professores e agentes universitários estão há quatro anos sem receber os índices da inflação e essa perda chega próximo dos 17,2%. É como se deixassem de receber 2,27 salários por ano.

A greve está sendo construída com mais de 30 sindicatos ligados ao Fórum das Entidades Sindicais (FES) e deve abranger todas as universidades públicas, as escolas estaduais, o setor da saúde, segurança entre outros. “A greve será unificada e vai atingir os servidores do Poder Executivo do Paraná”, reforçou José Maria. O Comando Estadual de greve dos Servidores, inclusive já se reuniu, também no dia de hoje, 18/6, para organizar o início da Greve.

O FES chegou a apresentar uma proposta que é o parcelamento das perdas dos últimos 12 meses, com uma reposição de 4,94% já, 1% em outubro e 1% em dezembro, mas o governo Ratinho Junior sequer respondeu, tampouco apresentou uma contraproposta.