Sem reposição salarial servidores da UEM decidem pelo “Estado de greve”

Notícia

Os servidores da Universidade Estadual de Maringá definiram, hoje, 28 de maio, entrar em Estado de Greve e assembleia permanente. A decisão foi tomada, por unanimidade, em Assembleia Geral marcada pelo Sinteemar e que contou com a presença de docentes e agentes universitários.

Estado de greve, é diferente de indicativo ou deflagração de greve. A deliberação de hoje serve de alerta ao Governo Estadual e significa que os servidores da UEM poderão aprovar uma greve a qualquer momento. “Esse é um período de preparação da categoria para uma possível greve e que está sendo motivada pelo não pagamento da nossa recomposição salarial”, explicou o presidente José Maria Marques.

Durante a Assembleia, os participantes decidiram também, aderir ao Movimento Nacionaldos Estudantes em Defesa da Educação, contra o contingenciamento de 30%, feito pelo Governo Federal, às universidades públicas e o corte de verbas para os cursos de pós-graduação.

A concentração será no dia 30 de maio, próxima quinta-feira, às 16h45 no estacionamento entre o Restaurante Universitário e a Biblioteca Central da UEM. Às 17h30, inicia a passeata pela 10 de maio, Herval, até chegar à Avenida Brasil, rumo à Praça Raposo Tavares, onde ocorrerá o ATO EM DEFESA DA EDUCAÇÃO. Alunos secundaristas já confirmaram presença.