Reforma Trabalhista completa dois anos e desemprego permanece igual

Notícia

A reforma trabalhista proposta pelo governo Temer acaba de completar dois anos de vigência e é considerada a maior mudança nas leis trabalhistas desde que foi criada a CLT, em 1943. Aprovada com o propósito de gerar mais empregos, a reforma foi mais uma balela que enfiaram goela abaixo do trabalhador.

Nesse período, o número de desempregados praticamente permanece o mesmo. Era 12,6 milhões em novembro de 2017 e agora chegou a 12,5 milhões (dados de setembro/2019). Na mesma vertente a taxa de desemprego permanece inalterada: 12% em 2017, 11,6% em 2018 e 11,8% em setembro de 2019.

O que as estatísticas mostram é que o crescimento mesmo ficou só na quantidade de empregos precários com salários abaixo do mínimo necessário. Dados do IBGE mostram ainda que o Brasil tem hoje 24,4 milhões de pessoas trabalhando por conta própria em subempregos. Na informalidade também os números mostram que os brasileiros nessa condição somam 11,8 milhões. Um recorde.

Agora o presidente Bolsonaro se prepara para assinar uma Medida Provisória em que pretende seguir a linha de seu discurso em que afirma que o “povo precisa decidir se quer emprego ou ter direitos”. Com essa “nova” medida, Bolsonaro quer criar mais 4 milhões de empregos.