Primeiro semestre de 2019 registrou 527 greves

Notícia

Reajustes e atrasos de pagamento são os principais motivos

No primeiro semestre desse ano, o SAG (Sistema de Acompanhamento de Greves) do DIEESE registrou 527 greves. A maior parte (51%) ocorreu na esfera privada.

No setor de serviços, destacam-se as mobilizações nos transportes (78 greves), nas empresas de limpeza e conservação (48) e, na saúde, em unidades gerenciadas por organizações sociais (32).

No setor industrial, os metalúrgicos realizaram 23 greves e os trabalhadores da construção, 21. Entre as paralisações do funcionalismo público (45%), destacam-se as dos servidores das redes estaduais e/ou municipais de educação (96 greves) e as dos servidores das redes estaduais e/ou municipais de saúde (28).

No funcionalismo público dos municípios, ocorreram 75 greves gerais (envolvendo funcionários de diversas pastas); no funcionalismo público dos estados, foram 12.

Mais da metade das greves nas empresas privadas (58%) foi deflagrada contra o atraso no pagamento de salários (inclusive o 13º) e férias. No funcionalismo, 60% das greves mencionam o reajuste dos salários e dos pisos, além da implantação do Plano de Cargos e Salários.

Fonte: DIEESE. SAG